Orange is The New Black (3ª Temporada) | Review

O.M.F.G achava que a Netflix não seria capaz de manter o nível da série Orange is The New Black, que chega em sua terceira temporada. Mas ela me fez engolir todos os meus pensamentos e provou por A + B que pode ser fodona. Não recomendo você a seguir minha opinião se não curte Spoiler.

SPOILER ALERT 

A terceira temporada de Orange is The New Black chegou no catálogo da Netflix no dia 12 de Junho,e causou mais uma vez um alvoroço na internet, com temas bem peculiares e delicados a série conseguiu se renovar e fazer bem feito o seu trabalho.

Fico impressionado, que mesmo com tantos arcos a serem explorados em tipos de série como essa, onde temos vários personagens e nenhum pode se perder no meio da história. Mesmo com essa multidão de mulheres únicas a Netflix e Jenji Kohan conseguiram dar leveza e uma continuidade perfeita a série.

Os problemas estão por todos os lugares nessa nova temporada, a penitenciaria federal de Leitchfield. Desde o fechamento da prisão, até estupro, religião, família, romance e até mesmo “amor“, tudo é tão bem conduzido que não percebemos os episódios passando, tudo fluí com naturalidade.

Piper Chapman não é mais uma garotinha rica que foi presa e se prende ao que aprendeu ao longo da vida, mais forte ela percebe que deve ser a vencedora ali dentro, afinal ninguém irá fazer nada por ela. Então Piper planeja a volta de Alex Vause para a prisão, por um momento egoísta e uma vingança boba!

Parece que os papeis estão invertidos, Vause mais paranoica do que nunca e Chapman forte e mandando em tudo, WHAT? Vause tem lá seus motivos para trazer a tona essa paranoia, afinal entregou um dos traficantes para quem trabalhava, Kubra. Com seu retorno para a prisão temos junto um romance mais intenso que se desfaz ao longo dos episódios, a raiva toma conta e Alex acaba em maus bocados, sua paranoia se tornou realidade!

Orange is The New BlackCrazy Eyes tem momentos brilhantes na série, coisa que nunca pensei que veria na série. Ela se torna uma especie de escritora por conta de aulas de teatro de uma nova personagem, uma conselheira que entra em conflito com Sam Healy. Com o foco em Crazy Eyes a série consegue suavizar os dramas de Poussey em se sentir sozinha sem um romance.

 

O crescimento de alguns personagens ficou evidente, como por exemplo Chapman, Soso,que mostra uma performance incrivelmente irritante porém louvável. Chang finalmente tem seu passado revelado, mas não impressiona muito, apenas da sequência a história. Outra crescente na história é Norma, que ganha um destaque durante toda a série.Orange is The New Black

Um dos pesares que a série passa é o destino de Nicky Nichols, após armar todo um esquema com Luscheck acaba sendo incriminada ficando uma grande parte fora da série, sem sabermos o seu destino.

Healy e Red tem grandes momentos, mas não passa de uma distração lógica da série, mostrar vulnerabilidade. Por outro lado Doggett ganha os holofotes, na minha opinião, abordando um dos assuntos tratados na série com mais seriedade, que é o estupro.

Com isso conhecemos um outro lado da história de Doggett, conhecemos mais a fundo a personagem e, não diria isso na segunda temporada, consigo criar afeto por ela.

Orange is The New Black

Para fechar, as novatas Lolly e Stella são pouco exploradas mas na quarta temporada isso pode acontecer.

Obvio que não tem todos os momentos, escrevi aqueles que mais me impressionou e espero que criem interesse em ver o restante, a temporada completa já está disponível no Netflix.

 

Deixe uma resposta